Confira o Prólogo de Shakira para o Livro ‘Fragile: The Human Condition’

Shakira escreveu o prólogo para o livro de fotografias “Fragile: The Human Condition”, do filantropo e fotógrafo norte-americano Howard G. Buffett. A publicação mostra, ao longo de 320 páginas, a situação de pessoas pobres em 65 países diferentes, a maioria deles devastados pela guerra. Confira

Este livro tem a ver com testemunhar algo e não esquecer o que se viu.Espero que inspire você com me inspirou.

Um amigo, Howard Buffett é mais do que uma testemunha e um bravo cronista. Pelos últimos 20 anos, tem sido um campeão para as pessoas mais pobres do mundo. Sua paixão o levou aos cantos mais longínquos do globo onde, com os olhos e o coração bem abertos, viu coisas que são difíceis de serem vistas, contou histórias que são difíceis de contar e se colocou em perigo no processo. Howard não apenas presenciou o profundo sofrimento humano, ele tem feito algo a este respeito através de sua fundação e seu trabalho.

A pobreza é um assunto muito próximo de casa para mim. A Colômbia, o meu país, é o segundo país – apenas depois do Sudão- em termos de desabrigados que deixaram suas casas devido aos horrores dos conflitos.

Viajando juntos em julho de 2008, nós vimos esta pobreza quando visitamos Barranquilla, minha terra natal, e Quibdo, uma das áreas mais pobres da Colômbia. As pessoas que vivem lá enfrentam os mesmos obstáculos de outros povos que vivem na pobreza pelo mundo. A maioria dos moradores de Quibdo não tem nem mesmo as coisas mais básicas – água potável, eletricidade ou comida de qualidade. Ainda assim, apesar dos desafios horríveis que eles enfrentam todos os dias, eles têm para si mesmos e para seus filhos as mesmas esperanças que nós todos temos. Eles querem que seus filhos cresçam e vivam vidas melhores e mais realizadas como membros saudáveis e ativos da sociedade

Porém, como Howard pontua, as barreiras para atingir tais esperanças são enormes. Metade das pessoas em nosso planeta vive com menos de dois dólares por dia. Devido ao fato de tais estatísticas às vezes parecem frias ou difíceis de entender, as fotografias de Howard nos mostram em detalhes gráficos exatamente o que elas significam. Suas fotos ilustram como indivíduos, comunidades e nações são afetados pela falta de recursos humanos básicos como comida e água limpa. Elas mostram como as pessoas sofrem. Elas mostram o quão frágil a vida pode ser.

E as crianças são as que mais sofrem com a pobreza. Muitas das crianças mais pobres do mundo não freqüentam a escola. Esses jovens não instruídos crescem para se tornar adultos analfabetos, prejudicando o desenvolvimento econômico. Hoje, cerca de um em cada quatro adultos do mundo em desenvolvimento – mais de 770 milhões de pessoas – são analfabetos. Geralmente, em áreas em desenvolvimento, crianças que nascem pobres morrem pobres. Mas nós sabemos como quebrar este círculo vicioso da pobreza e libertar o potencial de uma criança: alimentação, água e educação são as chaves. Quando alimentadas, as crianças recebem a oportunidade de aprender e então afloramos o que há de melhor nelas.

Os benefícios são claros e ajudam a todos: a educação reduz a pobreza e reduz a desigualdade entre os sexos. Um único ano de educação básica pode representar um aumento de 10 a 20 por cento na renda de uma mulher. Imagine o crescimento econômico que poderíamos criar ao redor do mundo apenas através da educação, melhorando a qualidade de vida de milhões.

Hoje, Howard continua destemido em sua missão de ajudar povos necessitados ao redor do mundo. Ele trabalha duro para quebrar o círculo vicioso da pobreza e para oferecer oportunidades para que as pessoas mais pobres do mundo ajudem a si mesmas. Este livro é apenas uma de suas muitas instâncias de generosidade. Encontrei muitas pessoas incríveis concentradas em ajudar a melhorar nosso mundo, mas encontrei poucas com a dedicação implacável e o comprometimento apaixonado de Howard. Sua fundação oferece soluções do senso comum para os maiores problemas do planeta, como a falta de água limpa e práticas agrícolas afetivas. Ele não está apenas parado atrás da câmera. Ele está literalmente nos campos, trabalhando nas comunidades mais pobres, em meio à pobreza e ao desespero, ouvindo as pessoas, ajudando-as a fazer um mundo melhor para si mesmas com a ajuda que sua fundação oferece. Esta compaixão, combinada com o olho brilhante e bravo de Howard que nos provocam criaram este livro.

Há fotos tristes aqui, mas olhe atentamente para as pessoas nelas. Você verá seus valores, sua força e sua beleza. Veja-os da maneira como Howard os viu e encontre seu próprio modo de ajudar.

Tradução: Josimar Rosa