Shakira Escreve Artigo para Novo Livro do Bilionário Howard Buffet

blog-shakira-hb1
Howard G. Buffett, um dos homens mais ricos do planeta e também filantropo, lança, no fim do ano, o livro ’40 Chances’. De acordo com Howard, cada pessoa tem cerca de 40 chances na vida para conquistar o que deseja, um conceito que ele traz da agricultura, uma de suas paixões, onde cada agricultor espera ter cerca de 40 colheitas para aperfeiçoar seu trabalho.

Como não poderia deixar de ser, Shakira, parceira de longa data de Howard (ele é colaborador da colombiana na Fundação Pies Descalzos e também na ALAS) escreveu um pequeno texto para o livro. O material reaproveita trechos do prólogo que a cantora havia escrito em 2011 para outro livro de Howard,  ‘Fragile: The Human Condition’. Confira abaixo o texto:

A pobreza é um assunto muito próximo de casa para mim. A Colômbia, o meu país, é o segundo país – apenas depois do Sudão – em termos de desabrigados que deixaram suas casas devido aos horrores dos conflitos. Viajando juntos em julho de 2008, meu amigo Howard G. Buffet e eu vimos esta pobreza quando visitamos Barranquilla, minha terra natal, e Quibdó, uma das áreas mais pobres da Colômbia. As pessoas que vivem lá enfrentam os mesmos obstáculos de outros povos que vivem na pobreza pelo mundo. A maioria dos moradores de Quibdó não tem nem mesmo as coisas mais básicas – água potável, eletricidade ou comida de qualidade. Ainda assim, apesar dos desafios horríveis que eles enfrentam todos os dias, eles têm para si mesmos e para seus filhos as mesmas esperanças que nós todos temos. Eles querem que seus filhos cresçam e vivam vidas melhores e mais realizadas como membros saudáveis e ativos da sociedade
As barreiras para atingir tais esperanças são enormes. Cerca de um terço das pessoas em nosso planeta vive com menos de dois dólares por dia. Muitos destes indivíduos, comunidades e nações são afetados pela falta de recursos humanos básicos, como comida e água limpa. Quase todas estas pessoas vivem em condições frágeis, cheias de sofrimento perpétuo, com as crianças sendo as mais afetadas pela pobreza. E muitas das crianças mais pobres do mundo não frequentam a escola. Esses jovens não instruídos crescem para se tornar adultos analfabetos, prejudicando o desenvolvimento econômico. Hoje, cerca de um em cada quatro adultos do mundo em desenvolvimento – mais de 770 milhões de pessoas – são analfabetos. Geralmente, em áreas em desenvolvimento, crianças que nascem pobres morrem pobres. Mas nós sabemos como quebrar este círculo vicioso da pobreza e libertar o potencial de uma criança: alimentação, água e educação são as chaves. Quando alimentadas, as crianças recebem a oportunidade de aprender e então afloramos o que há de melhor nelas.
Os benefícios são claros e ajudam a todos: a educação reduz a pobreza e reduz a desigualdade entre os sexos. Um único ano de educação básica pode representar um aumento de 10 a 20 por cento na renda de uma mulher. Imagine o crescimento econômico que poderíamos criar ao redor do mundo apenas através da educação, melhorando a qualidade de vida de milhões.
É por isso que tenho dedicado algumas das minhas 40 chances à Barefoot Foundation, que trabalha para levar educação a todas as crianças. Começamos com seis escolas na Colômbia, oferecendo educação, refeições nutritivas e apoio psicológico para 5 mil crianças. Desde então, já expandimos para o Haiti e para a África do Sul e agora alcançamos um total de 30 mil pessoas. É um efeito em cascata, porque crianças saudáveis e instruídas podem retornar às suas comunidades e ajudar a melhorar as vidas de outras pessoas também. Este é um investimento com retorno garantido.
Mas há mais a ser feito, e se nos comprometermos, sei que podemos fazer mais do que pensamos. Howard e eu já retornamos à Colômbia para inaugurar uma nova escola em Cartagena e continuamos inspirados pelas oportunidades que estas crianças agora têm. Eu vejo como o trabalho duro pode quebrar o ciclo vicioso da pobreza se colocarmos nossas 40 chances para bom uso ajudando aqueles que mais necessitam. Com um pouco de compaixão e criatividade, cada um de nós pode achar seu próprio lugar trabalhando com pessoas e comunidades tomadas pela pobreza, doença e desespero. Seja de que forma for que use suas 40 chances, espero que você comprometa algumas delas em ajudar outros a fazerem um mundo melhor para si próprios.

Para relembrar o texto original de 2011, basta clicar aqui.

’40 Chances’ chega aos mercados no dia 22 de outubro.