De Olho na Tour: Desconstrução, como Shakira se reinventa a cada turnê

La La La (Brasil 2014)” em versão funk na El Dorado Tour? Um vídeo que circulou pelo twitter nos últimos dias chamou a atenção dos fãs mais afoitos da cantora colombiana Shakira. Gravado aparentemente nos estúdios da artista em Barcelona, o vídeo caseiro mostra uma mesa de mixagem e o tema musical é o hit da Copa do Mundo de 2014, porém com uma introdução rearranjada com uma pegada bem funk carioca. Isso acendeu a esperança não só de Shakira performar a canção em sua próxima tour, bem como a possibilidade de um arranjo totalmente inusitado para a faixa.

Com um repertório que soma mais de 100 canções nem sempre é fácil escolher as faixas que serão performadas ao vivo. Na hora de planejar suas turnês, Shakira sempre tem a árdua tarefa de eleger aquelas músicas que criarão maior empatia com os fãs e transformá-las em atos únicos e mágicos. Inclusive, semana passada Shakira pediu a ajuda dos fãs em suas redes sociais para montar o set list da nova turnê, os encorajando a votar em suas faixas preferidas através de um aplicativo. Algumas canções sempre se destacam no seu acervo e acabam sendo recorrentes em suas apresentações. Mas, para fugir da mesmice e do óbvio, a cada nova empreitada Shakira se reinventa e entrega a seus fãs os hits que a consagraram, porém com uma nova estética. Novos acordes, novos arranjos, novos instrumentos e fusões… Shakira se especializou na desconstrução de seus temas e é sobre isso que nós vamos falar na nossa coluna De Olho na Tour dessa semana. Vem com a gente!

“Gosto de misturar estilos. Gosto de fazê-los coexistir. É legal sentir-se livre para pegar um charango indígena, uma guitarra elétrica e um dumbec árabe e colocar tudo junto na mesma canção. É o tipo de coquetel que eu gosto. Prefiro fazer minhas próprias coisas. Adoro rock and roll, acho que mais do que qualquer outro tipo de música. Sempre fui apaixonada por grupos de rock que existiam mesmo antes de eu nascer. Mas há algo sobre o mundo pop, sabe? O deus pop é muito permissivo, muito flexível”.

Com essas palavras, a própria Shakira destaca uma de suas habilidades mais notáveis – a capacidade de fundir gêneros musicais em uma mistura coesa, fresca e original. A criatividade de Shakira sempre foi evidente nas suas composições, desde o lançamento do seu primeiro disco internacional, “Pies Descalzos“. Ela mudou a lógica da música latina ao explorar uma mescla de pop e rock , com uma base de guitarra acústica. Mas foi em “Donde Están los Ladrones?“, de 1998, que a estrela realmente catapultou sua versatilidade ao fundir estilos em misturas, até então, inimagináveis. Em “Ciega, Sordomuda“, por exemplo, ela mescla os acordes da guitarra com os festivos sons de um trompete de mariachi (música mexicana). Brindando sua ascendência libanesa, Shakira explora os sons árabes em “Ojos Así“, uma de suas músicas mais icônicas e ganhadora do Grammy Latino, por sua versão acústica. Com apenas dois discos internacionais, a cantora já havia provado seu talento multifacetado e os trabalhos que estavam por vir, fariam Shakira viajar ainda por diversas culturas e ritmos oriundos de diversas partes do mundo, inclusive o Brasil.

Os tambores brasileiros marcaram presença em “Objection” do álbum “Laundry Service“.  A música é uma fusão de pop, tango argentino, punk e conta com uma versão com tambores nacionais. As batidas de percussão típicas do Brasil também aparecem na música feita para a Copa do Mundo de 2014, “La La La (Brasil 2014)“. Mas Shakira foi além. Em 2005, a colombiana compôs e gravou uma bossa nova. “Obtener un Sí“, inclusive, chegou a ser trilha sonora da novela “Páginas da Vida“. Mas muito além da versatilidade em estúdio a artista colombiana também se destaca pelos incríveis arranjos que imprimiram uma cara nova aos seus hits em suas versões ao vivo. Ansiosos pelos temas que ganharão nova roupagem na El Dorado World Tour, nós separamos alguns clássicos que foram totalmente desconstruídos e ganharam versões surpreendentes no palco.

Ciega, Sordomuda

Com uma versão de estúdio explosiva, essa canção é um verdadeiro clássico na discografia da Shakira e funciona muito bem ao vivo por ser uma faixa alegre, vibrante e atemporal. Apesar da forte marca da musica regional mexicana na canção, a versão em estúdio consegue soar bem pop e radiofônica. Porém, para homenagear a cultura mexicana, a estrela colombiana resolveu deixar ainda mais evidente essa característica cultural da faixa, transformando a canção em uma verdadeira faixa mariachi para seu MTV Unplugged. Inclusive, ela foi performada em parceria com a banda Los Mora Arriaga.

Confira a versão original de estúdio:

Objection (Tango)

Se na versão original de estúdio, a faixa foi produzida com uma mistura contundente de punk e tango, na versao ao vivo para a Tour do Mangusto, Shakira substitui o tango de “La Cumparsita” que abre a canção pelos marcantes tambores brasileiros.

Confira a versão de estúdio:

Whenever, Wherever

O primeiro hit em inglês de Shakira é uma mistura de musica andina e guitarras elétricas. Para a The Sun Comes out Tour, a artista desconstruiu completamente a faixa e a transformou em um poderoso rock, com mesclas do clássico “Unbelievable“.

Confira a versão de estúdio:

Veja como foi o processo de desconstrução da música:

Estoy Aqui

O clássico que consagrou Shakira logo no inicio de sua carreira, também ganhou uma versão bem diferente ao vivo na Turnê do Mangusto.

Confira a versão de estúdio:

Nothing Else Matters

Apesar da faixa  ser do Metallica, na The Sun Comes Out World Tour, Shakira pegou um dos maiores clássicos do rock e o transformou em uma musica com uma pegada andina e flamenca.

Confira a versão original: