Opinião: Shakira errou ao não divulgar El Dorado na TV

Levi Tavares – Era uma noite de gala. O termômetro batia na casa dos 7º graus na agitada Las Vegas. Em uma das arenas da cidade, no entanto, o clima começava a esquentar com a cerimônia de entrega dos Latin Grammy’s 2016. Naquela noite, Shakira sairia aclamada com uma performance empolgante de seu hit La Bicicleta, duas vezes vencedor na noite, com Carlos Vives. Mas não saiu. Shakira não compareceu. Alegando motivos pessoais, que mais tarde descobriríamos se tratar de uma enfermidade do seu caçula Sasha (02), a cantora colombiana cancelou duas performances agendadas. Quase um ano se passou e Shakira teve diversas oportunidades de voltar aos palcos para promocionar seu mais recente trabalho discográfico, mas não o fez. A única concessão foi uma participação morna na final do The Voice França.

Ainda assim, El Dorado é um fenômeno comercial e um dos álbuns latinos de maior impacto lançado este ano. Nas principais plataformas de streaming, o disco já quebrou diversos recordes. Ele soma mais de 1 bilhão de players no Spotify, e no YouTube suas faixas já ultrapassam as 4 bilhões de reproduções. Seus singles acumulam uma série de certificados por altas vendas em todo o mundo. Só nos EUA, por exemplo, Chantaje já vendeu mais de 1 milhão de cópias equivalentes.

Com um sucesso arrebatador, por meses eu me dei por convencido de que Shakira não precisava realizar performances em premiações e programas de TV. Os números falavam por si só. Mas nesse contexto, eu me esqueci do impacto da televisão no consumo em massa de produtos culturais. Não vou me ater aqui às teorias da comunicação, mas trago números que vão justificar minha mudança de postura.

Em 2009, Shakira promocionava na Europa o segundo single de seu álbum She Wolf. A faixa Did It Again gozava de um sucesso moderado. A cantora realizou, então, uma performance da música na final do The X Factor UK. A cantora se beneficiou ao aparecer no show, vendendo 358% mais cópias da canção na semana seguinte ao X Factor em comparação com a semana anterior – mesmo a faixa estando disponível 5 semanas antes. Os dados são da Nielsen.

Mas Shakira não foi a única a experimentar um boom nas vendas após apresentações na TV. Um caso recente, que me chamou a atenção, foi o da cantora Lady Gaga. Ainda de acordo com a Nielsen, após a performance do Halftime Show no Super Bowl, Gaga viu um aumento maciço de 1580% nas vendas de trilhas digitais, em comparação a semana anterior. Houve um aumento de 844% na venda de álbuns equivalentes e de 210% para fluxos de áudio sob demanda. As vendas do álbum Joanne cresceram 814% em comparação à semana anterior.

O Grammy é outro evento televisivo que alavanca a venda dos artistas. As músicas performadas no Grammy 2017 venderam 319,000 cópias e tiveram quase 21 milhões de fluxos sob demanda (streaming) na semana seguinte ao evento. O álbum Coloring Book de Chance The Rapper teve um incremento de mais de 15 milhões de streamings combinados. O 25 da Adele teve um aumento de 5 milhões, só nos EUA.

Shakira teve a oportunidade de promocionar El Dorado em programas de TV e premiações por diversas vezes e observar um incremento considerável nas já exitosas vendas do álbum. Seja qual for o motivo, Shakira e sua equipe erraram ao desperdiçar a chance de levar sua música para uma audiência ainda maior e mais diversificada. Mas citando uma de suas próprias músicas: “you’ve made mistakes. Well that’s OK ‘cause we all have. But if I forgive yours, Will you forgive mine?” (Você cometeu erros, mas está tudo bem. Todos nós cometemos. Mas se eu perdoar os seus, você vai perdoar os meus?). O que nos resta é a esperança de que nos próximos trabalhos, a colombiana adote uma estratégia promocional mais assertiva e que contemple diferentes formatos, com seus filhos já mais crescidos, para que sua música continue soando alto e ocupe o lugar que lhe é realmente devido: o topo!

 

________________________________________________________________________________

 Levi Tavares cursou jornalismo no Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES-JF). Já foi produtor de conteúdo online e social media na Radio Solar JF e redator na Revista Pleased.

*Este artigo reflete exclusivamente as idéias e opiniões do autor e não representam, de maneira alguma, posicionamentos ou proposições do Shakira Brasil.