Colômbia, o celeiro dos novos artistas globais

Seguindo uma tendência mundial, o Brasil tem aberto as portas para o som produzido na Colômbia, com a ascensão de nomes como Shakira, Juanes, Maluma e J Balvin ao mainstream da música global

Águas quentes do oceano Atlântico, paisagens pitorescas, ilhas paradisíacas, cenários rústicos na costa do Pacífico, o sabor único do abacaxi, um dos melhores cafés do mundo, a figura controversa de Pablo Escobar, os reflexos de anos de conflito com a guerrilha armada, o legado de Gabriel García Marquez, a cumbia, o vallenato….a Colômbia é um país fascinante que tem atraído a atenção do mundo todo durante anos por suas belezas naturais e sua cultura vibrante. O Brasil tem visto nosso vizinho sul-americano como um dos destinos turísticos preferidos no exterior, após a queda da violência.  Só no ano passado, o país de García Marquez recebeu mais de 5 milhões de turistas estrangeiros e os viajantes brasileiros ocupam o 4º lugar no ranking de nacionalidades que mais visitam o país, de acordo com a PROCOLOMBIA (órgão oficial do turismo colombiano).

Mas existe uma outra Colômbia despontando para o Brasil hoje que vai muito além dos belos cartões postais de Bogotá, San Andrés e Cartagena das Índias: o país tem chamado a atenção dos brasileiros por seus artistas pop que têm dominado a cena musical da América Latina e começam a ganhar destaque para muito além do mundo hispânico.

Made in Colômbia: do pioneirismo de Shakira aos três filhos de Medellín
Se pudêssemos voltar no tempo, lá no início dos anos 90, é muito provável que jamais imaginaríamos o quão longe Shakira chegaria em sua carreira. A filha mais ilustre de Barranquilha desafiou todos os prognósticos e de cara conquistou o Brasil, mesmo com seu pop rock em espanhol, em um mercado com pouca abertura para produção internacional em um idioma diferente do inglês. Durante anos, Shakira foi a exceção e reinou absoluta como a única referência do pop latino para a grande massa dos brasileiros. Só por aqui, seu álbum internacional de estreia vendeu mais de 1 milhão de cópias, a cantora fez uma extensa e bem sucedida turnê pelo país em 1997, e na época era figura carimbada nos principais programas de TV e conquistou uma legião de fãs, que a seguem até hoje. Atualmente, Shakira figura entre os grandes nomes do mercado de música global e foi a primeira a colocar a Colômbia no mapa da indústria fonográfica do mundo. O pioneirismo da colombiana serviu para pavimentar o caminho para alguns de seus conterrâneos, que começam a chamar a atenção do mundo por suas músicas cativantes que tem dominado as plataformas digitais mundo a fora.

 

“Como esta mi gente? Mais il faut a bouger la tete. Y donde esta mi gente?” Quem nunca ouviu os versos pegajosos da alucinante “Mi Gente” de J Balvin? Ou quem nunca se acabou na pista de dança com “Sim ou Nao”, “Chantaje” e “Felices los 4” do Maluma? Ou ainda, quem nunca se emocionou com os versos de “Para tu amor” do Juanes? Esses três nomes de peso do cenário musical colombiano têm muita coisa em comum. Eles despontaram de Medellin para o Brasil e o mundo com uma mistura de ritmos colombianos com as suas respectivas vertentes musicais (reggaeton e rock) e seguem os passos de Shakira na empreitada de gravarem seus nomes no hall da fama da música global.

J Balvin é o nome colombiano do momento. O artista, nascido na popular Medellin, conseguiu a façanha de colocar uma música em espanhol no topo da lista Top50 Global do Spotify. Mi Gente tem tocado forte nas rádios do Brasil e o videoclipe da canção já conta com quase meio bilhão de views no Youtube, com apenas 1 mês de lançamento. Balvin já ganhou 2 grammy’s latinos e é o segundo artista com maior número de certificações de diamante latino nos EUA, atrás apenas de Romeo Santos. No mercado brasileiro o artista fez sucesso com Ginza, na versão em parceria com Anitta.  Com uma carreira meteórica em ascensão, J Balvin tem um futuro promissor e ainda vamos ouvir falar muito do rapaz por aqui, que recentemente esteve no país para divulgar seu single Mi Gente.

Quem também esteve em solo tupiniquim há pouco tempo foi Maluma. Também filho de Medellin, o cantor é um dos principais expoentes do gênero urbano na América Latina. O artista coleciona uma extensa lista de êxitos, como Felices los 4, Borro Cassete e El Perdedor, além de parcerias de sucesso, como Chantaje com Shakira, Sim ou Não com Anitta, Ven’te Pá Cá com Ricky Martin e Desde Esa Noche com Thalia. Em 2013, o jovem foi indicado ao Grammy Latino como Artista Revelação. Com apenas 23 anos de idade, seus números na redes sociais impressionam. Maluma possui 23 milhões de curtidas em sua pagina oficial do Facebook, 27,8 milhões de seguidores no Instagram e mais de 4 milhões de seguidores no Twitter. No Brasil, o astro causou furor com sua parceria com Anitta em Sim ou Não e recentemente fez um show solo na edição de Goiânia do Festival Villa Mix.

O primogênito dos três filhos de Medellin também não fica para trás. Com 45 anos de idade e uma longa trajetória musical, Juanes gravou seu nome na história da musica latina com uma mescla ousada de rock com ritmos típicos colombianos. Sucessos como Para tu Amor, Fotografia, Gotas de Água Dulce e És por Ti foram responsáveis por colocá-lo no jogo e garantir a Juanes popularidade em países da Europa e nos EUA. No Brasil, já foi tema de telenovelas da Rede Globo e fez shows em São Paulo e Florianópolis. O artista é dono de incríveis 21 Grammy’s Latino e 2 Grammy’s anglo, além de inúmeros outros prêmios relevantes ao redor do globo.

 

A cena musical da Colômbia ainda possui nomes de peso como Carlos Vives, Sebastian Yatra, Silvestre Dangond, Santiago Cruz e a banda Bomba Estéreo, que se apresenta este ano no palco Sunset do Rock in Rio. A migração da música colombiana para solo brasileiro é uma mostra de que estamos abrindo nossas portas para a produção cultural da América Latina Hispânica e que estamos dispostos a abraçar o gênero latino, assim como o resto do planeta. Afinal artistas como Shakira, Juanes, J Balvin e Maluma “makes a man wants to speak Spanish”.