Only views: Afinal de contas, por que El Dorado “só” tem streaming?

Da Redação – Era uma manhã de junho, quando uma vizinha bateu à minha porta para me entregar uma encomenda que havia chegado pelos correios dias antes e, que não recebi porque estava em viagem. Quando abri o pequeno pacote me deparei com a cópia física do El Dorado, mais recente álbum de Shakira. Folheei o encarte, dei uma lida rápida nos créditos e coloquei o CD junto à minha pequena coleção de discos. De lá, ele nunca mais saiu e nem foi executado uma única vez sequer, aliás nem CD player eu tenho. Adquiri El Dorado em formato físico apenas como item de coleção, pois já ouço o álbum pelo Spotify, às vezes pelo Deezer, mas principalmente pelo Youtube. No entanto, esse comportamento não é exclusividade minha, pelo menos é o que revela a pesquisa da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI) sobre os hábitos de consumo de música gravada no mundo, divulgada na última semana e que nossa equipe revela em primeira mão no Brasil.

Como o mundo ouve música em 2017? 
A relação dos fãs com a música gravada tem sido cada vez mais assertiva nos últimos tempos. Houve um aumento significativo do consumo de música licenciada (legal) nos primeiros seis meses do ano, 37% a mais que em 2016.  Os dados fazem parte do relatório Conecting With Music, the 2017 Music Insight Report, divulgado pela IFPI.  A pesquisa, conduzida pela Ipsos, foi realizada nos 13 maiores mercados fonográficos do mundo*, inclusive o Brasil, que juntos correspondem a 85% de todo o consumo de música legal do globo. Os dados apresentados revelam o comportamento de consumo dos usuários desses países nos primeiros seis meses de 2017.

De acordo com o estudo, basicamente, as pessoas consomem música de 4 maneiras diferentes: compram diretamente (vinil, CDs e downloads), usam serviços de streaming de áudio, usam serviços de transmissão de vídeo e  ouvem música das rádios (transmissão direta e rádio pela internet). O que mais chama a atenção no relatório é que fãs ao redor do mundo estão cada vez mais envolvidos na transmissão e uso de serviços de música online legítimos. Mais de 75% das pessoas utilizam alguma plataforma online para ouvir música sob demanda, contra 44% que ainda compram faixas e álbuns, sejam físicos, sejam digitais.

Quando consideramos o tempo que as pessoas dedicam para ouvir música nessas plataformas, o que se observa é a hegemonia do Youtube: 46% de todo o tempo gasto no primeiro semestre ouvindo música online foi utilizado no serviço de vídeos. Do total de tempo gasto ouvindo musica online, 22% utilizaram serviços de streaming de áudio pago, 23% streaming gratuito e  55% serviços de vídeo sob demanda. Levando em conta apenas o Youtube, 85% dos usuários da plataforma acessam o serviço para ouvir música todo mês . No Brasil, esse número salta para 95%. Isso ressalta a importância dos videoclipes no cenário atual da música gravada.

Outro dado relevante da pesquisa é o engajamento do público mais jovem com os serviços sob demanda. Eles são 85%, da faixa etária de 13-15 anos, que utilizam serviços de streaming para ouvir música. Desse total, 79% utilizam serviços de vídeo e 67% serviços de áudio, um aumento de 54% em relação a 2016.

“Os jovens fãs também estão mostrando altos níveis de engajamento com música. Apesar de ter enormes quantidades de conteúdo da mídia competindo por seu tempo e atenção, eles estão levando músicas para seus corações e reconhecendo seu valor. À medida que emergem como a próxima geração de fãs de música, isso é um sinal encorajador”, disse a CEO da IFPI, Frances Moore.

El Dorado e o novo modelo de consumo de música


Em consonância com os  padrões de consumo atual em que 75% das pessoas ouvem música em plataformas de vídeo e 44% escutam em serviços de streaming de áudio, o alcance extraordinário do novo álbum de Shakira ressalta a importância da cantora na industria fonográfica e o sucesso de sua estratégia em focar sua divulgação nos meios digitais. E os números falam por si só. No Youtube, as faixas de El Dorado já atingiram a impressionante quantia de mais de 3,9 bilhões de visualizações, até o fechamento desta matéria. No Spotify, o álbum acumula exatos 948,257,126 players. Considerando apenas essas duas plataformas, El Dorado possui quase 5 bilhões de streamings.  O debut modesto de 68 mil cópias vendidas na primeira semana, reportado pelo Media Traffic, parece em um primeiro momento um número muito baixo, principalmente se considerarmos o que a estrela colombiana já vendeu ao longo de sua carreira. Mas essas 68 mil cópias, renderam a El Dorado o posto de 9º mais vendido no período em questão, mais uma prova de que a forma com que as pessoas consomem música mudou.

Shakira conseguiu se sobressair no mundo atual, por conseguir levar sua música exatamente aonde as pessoas estão ouvindo música. El Dorado é um álbum “only views”, porque é exatamente pelos serviços de vídeo e música sob demanda que as pessoas estão ouvindo música em 2017. Bem-vindos à nova realidade do mundo fonográfico.

 

__________________

*Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Japão, México, Reino Unido e Suécia.