Elle Magazine: Shakira está fazendo novas músicas, se recuperando e tendo sua opinião

“Uma entrevista exclusiva com a superstar mais autêntica da música latina” – Elle Magazine

A edição virtual de outubro da Elle Magazine tem Shakira em sua capa, uma entrevista reveladora e um ensaio fotográfico inédito.

Vestido: Johanna Ortiz. Anel: Messika by Kate Moss. Botas: Giuseppe Zanotti.
Foto: Jaume de Laiguana

Falando pela primeira vez publicamente após o rompimento de seu relacionamento com seu ex-companheiro, que aconteceu meses atrás, a superstar latina abriu o coração, contou detalhes íntimos, revelou como está sendo o processo de se entender como uma mulher livre e solteira e afirmou que o apoio da família e dos amigos foi essencial.

A artista que ganhou o mundo com suas canções marcantes e seus movimentos de dança comentou sobre seus projetos futuros e como as letras de suas canções reflete seus sentimentos.

Vestido: Miu Miu. Sandálias: Aquazzura. Tiara: Messika. Anéis: Messika by Kate Moss e Bulgari.

A artista que já vendeu mais de 80 milhões de álbuns ao redor do mundo mostrou que tem pulso firme e se abriu para a revista Elle, falando publicamente sobre suas finanças, que foram motivos de polêmica nos últimos meses.

Vestido: Etro. Pingente e brincos: Bulgari.
Foto: Jaume de Laiguana

Acabei de ver que você comemorou o aniversário do seu pai. Você fez uma serenata para ele com uma música de bolero. Foi bonito. Ele tem sido uma figura chave em sua vida, certo?

Sim, ele é meu herói. Ele é um exemplo de resiliência e sabedoria. Ele tem sido meu melhor amigo, a pessoa de quem recebi os melhores conselhos. E, infelizmente, ele teve um ano muito difícil. Ele veio para Barcelona quando soube da minha crise familiar e veio me dar seu apoio. Mas então ele caiu e teve um hematoma subdural. E então ele fez uma cirurgia no cérebro. E então, uma semana depois, ele caiu novamente e quebrou muitos ossos do rosto.

Então tem sido muito difícil, você sabe, um ano difícil para ele. Mas é uma prova de sua força e resiliência. Ele ainda dança quando ouve música. Ele tenta cantar junto. E aprendi que para os idosos, o melhor presente que você pode dar a eles não é apenas sua presença e sua companhia, mas também a música. Quando você pensa no poder que a música tem, me faz perceber, sim, meu trabalho pode não ser tão heróico quanto o trabalho de um médico ou enfermeiro ou no meio da guerra, mas de alguma forma tem um aspecto muito nobre, que é exatamente isso: conectar as pessoas à vida.

Vestido: Dior. Anel: Bulgari.
Foto: Jaume de Laiguana

Eu quero perguntar sobre sua música, porque você tem um álbum muito aguardado. Você não lança um álbum desde 2017.

Sim, eu tenho um álbum completo de músicas do qual eu estou muito animada. E algumas músicas que você vai ouvir em breve, algumas são colaborações. Alguns são em inglês e outras em espanhol, gêneros diferentes. Mas estou muito, muito empolgada não apenas com o trabalho que tenho agora para compartilhar com as pessoas que estão esperando por ele, mas também com o quão gratificante todo o processo foi para mim. Quão terapêutico também. Achei que tinha acabado com meu álbum. Mas toda vez que entro no estúdio para fazer, tipo, um verso ou algo assim, ou mixar uma música que está quase pronta para ser lançada, acabo com uma música nova porque me sinto criativa agora, e sinto que é um saída incrível para eu dar sentido às coisas.

Me conte um pouco sobre esse processo que a música é de alguma forma uma terapia para você quando está passando por um momento difícil. Como você explora isso e usa isso?

Acho que todo mundo tem seus próprios processos ou seus próprios mecanismos para processar o luto, o estresse ou a ansiedade. Todos nós passamos por coisas na vida. Mas no meu caso, acho que escrever música é como ir ao psiquiatra, só que mais barato [risos]. Isso só me ajuda a processar minhas emoções e dar sentido a elas. E isso me ajuda a curar. Acho que é o melhor remédio, e junto com o amor da minha família e dos meus filhos que me sustenta, música e compor é definitivamente uma dessas ferramentas – uma das poucas ferramentas que tenho para sobreviver em condições extremas. É como madeira flutuante para um homem se afogando no mar, aquele pedaço de madeira que você segura quando sente que está se afogando. Eu acho que a música é um bote salva-vidas. Houve dias em que tive que pegar os pedaços de mim do chão. E a única maneira de fazer isso, de realmente fazer isso, foi através da música. Você sabe, realmente, tipo, me recompor e me ver no espelho e saber que sou mãe e meus filhos dependem de mim.

Mas também que eu tenho tantas coisas a dizer. E naqueles dias em que senti que minha força estava me escapando, como se eu não tivesse pernas, naqueles dias eu escrevi músicas e me senti revitalizada e revigorada depois de uma sessão de composição. É como uma injeção de vitaminas [risos]. Às vezes eu temia tanto meu trabalho no passado porque eu só queria estar lá para meus filhos. Quero dizer, eu só queria abraçar meus filhos na cama um pouco mais. E então eu tive que, tipo, levantar e gravar um vídeo e cumprir minhas obrigações. Mas agora sou muito grata pelo meu trabalho, pela possibilidade que ele nos dá de nos recompor e perceber quem somos e por que estamos aqui neste planeta – qual é o nosso propósito, nossa missão. Acho que você pode encontrar esse poder reconstrutivo em qualquer tipo de trabalho. [Em espanhol] El trabajo dignifica el hombre.

“Neste momento da minha vida, que é provavelmente uma das horas mais difíceis e sombrias da minha vida, a música trouxe luz.”

Isso dá dignidade à pessoa.

Exatamente. E eu sinto que neste momento da minha vida, que é provavelmente uma das horas mais difíceis e sombrias da minha vida, a música trouxe luz.

Eu quero falar sobre esse momento sombrio para você. Você usou palavras como “sentir que está se afogando”. Como você está lidando com a dissolução do seu relacionamento?

Ah, isso é muito difícil de falar pessoalmente, especialmente porque esta é a primeira vez que abordei essa situação em uma entrevista. Eu permaneci quieta e apenas tentei processar tudo. Hum, e sim, é difícil falar sobre isso, especialmente porque ainda estou passando por isso, e porque estou nos olhos do público e porque nossa separação não é como uma separação regular. E tem sido difícil não só para mim, mas também para os meus filhos. Incrivelmente difícil. Tenho paparazzi acampando do lado de fora, na frente da minha casa, 24 horas por dia, 7 dias por semana. E não há um lugar onde eu possa me esconder deles com meus filhos, exceto na minha própria casa. Você sabe, não podemos dar um passeio no parque como uma família normal ou tomar um sorvete ou fazer qualquer atividade sem que os paparazzi nos sigam. Então é difícil. E tentei esconder a situação na frente dos meus filhos. Eu tento fazer isso e protegê-los, porque essa é a minha missão número um na vida. Mas aí eles ouvem coisas na escola de seus amigos ou se deparam com alguma notícia desagradável, desagradável online, e isso só os afeta, sabe?

Como eles têm lidado com isso? Isso deve ser incrivelmente difícil para eles.

Sim. Eu tento esconder a situação deles o máximo que posso. É realmente perturbador para duas crianças que estão tentando processar a separação de seus pais. E às vezes eu sinto que tudo isso é um pesadelo e que eu vou acordar em algum momento. Mas não, é real. E o que também é real é a decepção de ver algo tão sagrado e tão especial quanto eu achava que era a relação que tive com o pai dos meus filhos e ver isso se transformando em algo vulgarizado e barateado pela mídia. E tudo isso enquanto meu pai está na UTI e eu tenho lutado em diferentes frentes. Como eu disse, esta é provavelmente a hora mais sombria da minha vida. Mas então eu penso em todas aquelas mulheres ao redor do mundo que estão passando por dificuldades, que estão passando por uma situação tão ruim quanto a minha ou tão difícil quanto a minha ou pior.

Para aquelas mulheres como eu que acreditam em valores como a família que teve o sonho, o grande sonho de ter uma família para sempre, ver esse sonho quebrado ou em pedaços é provavelmente uma das coisas mais dolorosas pelas quais você pode passar. Mas eu acho que as mulheres, nós somos resilientes. Você sabe, nós temos essa resiliência que é inata em todos nós. E devemos nutrir e cuidar daqueles que dependem de nós. Então você me pergunta como eu administro isso. E eu apenas administro, eu acho, me lembrando que eu preciso me tornar um exemplo para meus filhos, que eu preciso ser o que eles querem, o que eu quero que eles se tornem. E eu quero estar lá, também, para todas as pessoas que me mostraram seu amor e apoio. Essa é a minha maior força. Esse é o meu motor mais potente agora.

Vestido: Carolina Herrera. Brincos: Messika by Kate Moss. Colar: Bulgari. Sapartos: Christian Louboutin.
Foto: Jaume de Laiguana

Parece que há no momento uma batalha de custódia com seu ex-parceiro sobre onde as crianças deveriam estar. Isso é um reflexo preciso de onde as coisas estão no momento?

Honestamente, a representação na imprensa local aqui na Espanha tem sido tão difícil de assistir. E invasivo para os meus filhos. Eles não merecem se sentir observados ou observados a cada segundo, fotografados na saída da escola ou seguidos por paparazzi. Eles merecem uma vida normal. É apenas um circo total, e todo mundo está especulando sobre todos esses aspectos de nossas vidas, e mais importante, de nossos filhos, e muito disso nem é verdade. Independentemente de como as coisas terminaram ou como Gerard e eu nos sentimos um pelo outro como ex-parceiros, ele é o pai dos meus filhos. Temos um trabalho a fazer para esses dois garotos incríveis, e tenho fé que descobriremos o que é melhor para o futuro deles, seus próprios sonhos na vida e qual é uma solução justa para todos os envolvidos. E espero e agradeceria se tivéssemos espaço para fazer isso em particular.

Eu quero perguntar sobre a dissolução de seu relacionamento. Seu ex-parceiro foi visto em um novo relacionamento. Parece que você não queria que seu relacionamento terminasse, e foi uma surpresa para você que o relacionamento acabou. Como vocês entenderam que não iam mais ficar juntos?

Acho que esses detalhes são de alguma forma privados demais para serem compartilhados, pelo menos neste exato momento – tudo é tão cru e novo. Só posso dizer que coloquei tudo o que tinha nesse relacionamento e na minha família. Antes de meus filhos começarem a escola, eu tinha uma vida realmente nômade – vivi toda a minha existência como artista, viajando sem parar, indo para lugares diferentes ao redor do mundo, fazendo turnês, fazendo shows, promovendo, construindo escolas na Colômbia e gravando em diferentes países do mundo. Mesmo nos primeiros anos do meu relacionamento com Gerard e quando tive meu primeiro filho, Milan. Eu o levava comigo para todos os lugares desde os 2 meses de idade. Eu até me lembro de amamentar constantemente no set de The Voice.

Quando o Milan começou a estudar, no final de 2014, eu sabia que minhas viagens constantes e minha existência nômade tinham que ser colocadas em segundo plano e minha carreira tinha que ser colocada em segunda marcha. Eu sabia que quando ele começou a escola eu tinha que me estabelecer, plantar raízes em Barcelona e estar lá para ele e para Gerard e depois para Sasha também. Como jogador de futebol, ele queria jogar futebol e ganhar títulos e eu tinha que apoiá-lo. Quero dizer, um de nós dois teve que fazer um sacrifício, certo? Ou ele rescindiria seu contrato com o Barcelona e se mudaria para os EUA comigo, onde está minha carreira, ou eu teria que fazer isso.

E assim, um dos dois teve que fazer esse esforço e esse sacrifício. E eu fiz isso. Coloquei minha carreira em segunda marcha e vim para a Espanha, para apoiá-lo para que ele pudesse jogar futebol e ganhar títulos. E foi um sacrifício de amor. Graças a isso, meus filhos puderam ter uma mãe presente, e tenho esse vínculo incrível com eles que é inquebrável e que nos sustenta. Você sabe, é isso. Isso é tudo o que posso dizer.

Vestido: Versace.
Foto: Jaume de Laiguana

Eu só vou te perguntar, porque você escreveu uma música chamada “Te Felicito” (“Eu parabenizo você”), que saiu em abril. Estou traduzindo a letra do espanhol, mas você escreveu: “Para te fazer inteiro. Eu me quebrei em pedaços. Fui avisada, mas não prestei atenção. Não me diga que está arrependido. Eu te conheço bem e sei que você está mentindo.” E obviamente agora essas letras carregam muito mais peso, só de ouvir você falar sobre colocar sua carreira em segunda marcha. É disso que você estava falando quando disse: “Eu me quebrei em pedaços”? É esse o sentimento que você teve de que teve que dar uma parte de si durante esse relacionamento, que talvez tenha sido difícil de recuperar?

Só posso dizer que consciente ou inconscientemente, tudo que sinto, tudo que passo se reflete nas letras que escrevo, nos vídeos que faço. Quando a luva se encaixa, ela se encaixa. Como eu disse antes, minha música é esse canal.

Este não é o único desafio que você está enfrentando. O governo espanhol o acusou de fraude fiscal. Você está enfrentando até oito anos de prisão. Eles disseram que você era um residente da Espanha para fins fiscais de 2011 a 2014, o que significa que você passou mais de 183 dias no país. Você decidiu lutar contra essas acusações em vez de se contentar com elas. Por quê?

[Suspiros] Porque eu tenho que lutar pelo que acredito; porque são acusações falsas. Em primeiro lugar, eu não passava 183 dias por ano naquela época. Eu estava ocupada cumprindo meus compromissos profissionais ao redor do mundo. Segundo, paguei tudo o que eles alegaram que eu devia, mesmo antes de entrarem com uma ação judicial. Então, a partir de hoje, devo zero a eles. E, finalmente, fui aconselhada por uma das quatro maiores empresas especializadas em impostos do mundo, a PricewaterhouseCoopers, por isso estava confiante de que estava fazendo as coisas de forma correta e transparente desde o primeiro dia.

No entanto, mesmo sem evidências para apoiar essas alegações fictícias, como costumam fazer, eles recorreram a uma campanha de imprensa lasciva para tentar influenciar as pessoas e pressionar a mídia junto com a ameaça de danos à reputação para coagir acordos de acordo. É sabido que as autoridades fiscais espanholas fazem isso muitas vezes não apenas com celebridades como eu (ou [Cristiano] Ronaldo, Neymar, [Xabi] Alonso e muitos outros), mas também acontece injustamente com o contribuinte regular. É apenas o estilo deles. Mas estou confiante de que tenho provas suficientes para apoiar meu caso e que a justiça prevalecerá a meu favor.

“Só posso dizer que consciente ou inconscientemente, tudo o que sinto, tudo o que passo, se reflete nas letras que escrevo.”

Macacão: Jumpsuit, Fernando Claro. Botas: Elisabetta Franchi.
Foto: Jaume de Laiguana

Quais são os métodos questionáveis que você vê? Os promotores dizem que vasculharam suas redes sociais, seus recibos de cartão de crédito. Eles mapearam quando e onde você estava em diferentes momentos do país.

Enquanto Gerard e eu estávamos namorando, eu estava em uma turnê mundial. Passei mais de 240 dias fora da Espanha, então não havia como me qualificar como residente. As autoridades fiscais espanholas viram que eu estava namorando um cidadão espanhol e começaram a salivar. É claro que eles queriam ir atrás desse dinheiro, não importa o quê. Mesmo nos anos seguintes, eu estava viajando pelo mundo, trabalhando sem parar durante a gravidez ou com Milan quando bebê, quando minha cesariana mal havia fechado. Eles sabiam que eu não estava na Espanha o tempo necessário, que a Espanha não era meu local de trabalho ou minha fonte de renda, mas ainda assim vieram atrás de mim, com os olhos no prêmio.

Parece que é uma questão de princípio para você ter seu dia no tribunal.

Sim, exatamente. Isso é exatamente o que é. É uma questão de princípio.

Vestido: Dior. Anel: Bulgari. Botas: Aquazzura.
Foto: Jaume de Laiguana

Quero trazê-la de volta a este momento e você dizendo que é o momento mais sombrio da sua vida. Estou me perguntando, enquanto você olha para os próximos meses, como você acha que vai seguir em frente?

Toda vez que a vida te testa, acho que você sempre encontra uma mão amiga que pode segurar enquanto chora. Eu acho que mesmo quando você sente que está caindo em um abismo e não há fim para esse abismo, sempre há uma certa rede de segurança no fundo. E essa rede de segurança é formada por familiares e amigos. E se você fez as coisas certas, você encontrará essa mão amiga. E a amizade, dizem eles, é a forma mais pura de amor, e talvez a mais duradoura. Tem sido tão incrível encontrar o apoio de tantos colegas, não apenas amigos, mas também colegas, pessoas que me procuram constantemente.

Conte-me sobre isso. Quem esteve procurando você? Quando você diz colegas, imagino que seus colegas sejam diferentes dos meus colegas.

[Risos] Sim. Eu tenho encontrado agradavelmente um lado incrível e humano das pessoas, você sabe, pessoas que eu considerava que estavam na minha vida, talvez por causa do trabalho que fazemos juntos. Mas não, essas pessoas realmente têm uma empatia e um coração que explica por que são tão amadas por tantos. Por exemplo, will.i.am. Ele me consulta regularmente e um dia até me enviou uma linda oração, orando por meus filhos e para que eu encontrasse a paz. Chris Martin está sempre checando e me dizendo que está lá para mim, qualquer coisa que eu precise. Juan Luis Guerra. Alejandro Sanz. Queridos amigos que se tornaram pessoas que acredito que não se importam apenas comigo como artista, mas como pessoa, como ser humano. O apoio deles me fez sentir que posso estar sozinha, mas não estou sozinha. Às vezes, uma mulher pode ser suficiente. Eu posso ser o suficiente neste momento para mim e para minha família, para meus filhos.

Essa sensação de descoberta é então uma coisa nova, que você pode estar sozinho e não solitário?

Que eu realmente posso? Sim. Sim, quero dizer, toda a minha vida estive em relacionamentos e pensei que esse era o estado ideal para uma pessoa. Você sabe, fazer parte de um casal. No momento, somos apenas eu e as crianças e minha família e aqueles amigos que me procuram periodicamente.

E isso parece o suficiente por enquanto?

Sim, eu sinto que é bastante. Por enquanto. Sim. Vamos esperar esse buraco no meu peito fechar e depois ver o que acontece.

Jumpsuit, Fernando Claro. Boots, Elisabetta Franchi.
Foto: Jaume de Laiguana

Cabelo por Beatriz Matallana; Maquiagem por Tom Pecheux para Yves Saint Laurent Beauté; Styling: Sylvia Montoliú; Assistente de Stylist’s: Emma Guardans; Assistente de Fotografia: Jordi Blancafort.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

LEIA TAMBÉM

SIGA O SHAKIRA BRASIL

199,527FãsCurtir
135,000SeguidoresSeguir
164SeguidoresSeguir
63,200SeguidoresSeguir
15,383SeguidoresSeguir
7,700InscritosSe Inscrever

INSTAGRAM FEED

ÚLTIMAS NOTÍCIAS